1 de janeiro Oitava de Natal

Giovanni Bellini; Presentazione di Gesù al tempio, 1460-64, Venezia
Giovanni Bellini; Apresentação de Jesus no Templo, 1460-64, Venezia
1 janeiro 2014
Reflexão sobre o Evangelho
de
ENZO BIANCHI
Jesus nasceu de uma mulher, pertence ao povo de Israel: viveu mostrando-nos como podemos "salvar" a nossa vida, dia após dia.

1 janeiro 2014

de ENZO BIANCHI

Ano A
Lucas 2,16-21

 

 

 

No oitavo dia depois do Natal, a Igreja retoma a leitura do nascimento de Jesus, ocorrido em Belém, de acordo com o Evangelho de Lucas.

Depois do anúncio do anjo aos pastores (cf. Lc 2,8-14), eis que estes, obedientes, partem para Belém e encontram Maria, a mãe, José e o menino recém nascido envolto em panos na manjedoura. Tudo corresponde ao anúncio que escutaram e as palavras do mensageiro celeste relativas ao menino são uma revelação divina que será a fé de todos os cristãos: Salvador, Cristo, Senhor, eis a verdadeira identidade daquele que nasceu (cf. Lc 2,11).

Os pastores não contemplam nada de extraordinário, nenhum deslumbre, mas aquela realidade humaníssima que têm diante dos olhos não contradiz as palavras que escutaram do anjo; na realidade, com simplicidade, contam o que lhes tinha sido anunciado, suscitando admiração em todos. A evangelização cristã tem o seu início naquele dia e é feita por pastores pobres, à margem da sociedade e tidos como indignos de uma vida religiosa de acordo com o culto oficial.

A mãe de Jesus, por outro lado, ouvindo as palavras dos pastores, guarda-as e medita sobre elas no seu coração, relacionando-as com as palavras que escutara do anjo (cf. Lc 1,26-38) e com os acontecimentos que as sucederam: a gravidez, o início de vida com José, o nascimento daquele filho que vinha, apenas, de Deus. Também neste  caso, Maria toma consciência da sua relação com aquele filho, porque outros, Isabel, José, agora os pastores, a narram e a confirmam. E assim a boa-nova, a grande alegria (cf. Lc 2,10) espalha-se, faz o seu caminho naquela região da Judeia.

  • 1
  • 2